• SESI/MT
  • SENAI/MT
  • IEL/MT
  • Sistema FIEMT
Voltar

Dia Nacional de Combate ao Fumo: Médico alerta sobre perigos do tabagismo no ambiente de trabalho

28/08/2020 - 15h40

O Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado em 29 de agosto, tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. Nesta importante batalha, as organizações precisam ficar atentas e investir em programas de conscientização e de combate ao tabagismo no ambiente de trabalho. Neste ano, devido à pandemia do novo coronavírus, o alerta vem com mais força.

O trabalhador fumante está exposto a mais de 4.000 toxinas que causam mais de 50 doenças tanto respiratórias, quanto cardiovasculares. Levantamentos do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que um fumante tem 10 vezes mais chances de desenvolver câncer de pulmão, cinco vezes mais de sofrer infarto e duas vezes mais de ter um derrame no cérebro.

“O tabagismo no ambiente de trabalho, influencia de maneira negativa no desempenho e rendimento, devido tempo de intervalo para fumar durante expediente e, consequentemente, as doenças que irão se tornar presente no dia a dia deste trabalhador”, explica o medido do Trabalho do Serviço Social da Indústria (Sesi) Mato Grosso, Ediney Espindola.

Uma forma eficaz de atuar para orientação e redução do tabagismo entre os colaboradores, segundo o médico, é a informação. “Esta ainda é a melhor maneira de alcançar o trabalhador, sendo por meio de palestra ou vídeos. A indústria pode adotar o horário de intervalo dos fumantes, colocando, ao invés do cigarro, algo para substituir o momento, como uma fruta, biscoitos, chicletes ou balas, acompanhados, talvez, de meditação ou momento pra ouvir algo que gostem”.

Também são indicadas ações como panfletos no ambiente de trabalho, redes internas de comunicação e mídias sociais com divulgação, gincana de competição entre os próprios trabalhadores com prêmios, aplicativos com fases de superação, como um jogo diário (dias sem fumar).

Também é válido implantar a ginástica laboral ou circuito do bem-estar, por exemplo, que contribuem para diminuir o estresse, influenciam a adoção de estilo de vida ativa e mais saudável, a socialização e o fortalecimento da empresa. Conheça os programas do Sesi MT Ginástica Laboral na Empresa e Circuito Bem-Estar.

“Combater o fumo só traz vantagens tanto para a saúde, reduzindo o fator de risco, quanto no trabalho, combatendo o déficit no horário e o tempo de rendimento das atividades”.

Vale ressaltar que mesmo as empresas que tiverem poucos fumantes ou até mesmo nenhum, um programa de combate ao tabagismo serve de prevenção e até mesmo como atividade educacional. “Nesse caso, se o colaborador tiver algum familiar ou amigo fora da empresa, poderá incentivá-lo e ajudá-lo a parar de fumar”.

Covid-19

O tabagismo — também considerado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS) — tem papel de destaque no agravamento da pandemia de Covid-19, já que é fator de risco para transmissão do vírus e para o desenvolvimento de formas mais graves de Covid-19.

“É provável que os fumantes sejam mais vulneráveis ​​à Covid-19, eles também podem já ter doença ou redução da capacidade pulmonar, aumentando muito o risco de doenças graves”, frisa o doutor Espínola.

Para ele, o uso de produtos que envolvem compartilhamento de bocais para inalar a fumaça, como narguilé (cachimbo d´água) e dispositivos eletrônicos para fumar (cigarros eletrônicos e cigarros de tabaco aquecido), também pode facilitar a transmissão do novo coronavírus entre seus usuários e para a comunidade.

“Como fumar causa inflamações no organismo, baixando assim a imunidade, o trabalhador fica mais vulnerável a qualquer microorganismo sendo bactéria, fungos e vírus como o coronavírus”.

Ajuda especializada

Como a abstinência da nicotina causa ansiedade, irritabilidade, depressão, déficit de memória e até agressividade, um psicólogo é um profissional de grande ajuda, no momento em que o fumante decide parar.

Além disso, um profissional nutricionista será de grande ajuda. “O parar de fumar também aumenta o apetite, fazendo com que o trabalhador troque o vício de fumar pelo de comer. Orientamos que a pessoa mantenha uma alimentação saudável e equilibrada, para que possamos dar um aporte nutricional ao organismo, para recuperar os danos causados pela nicotina”, destaca a nutricionista do Sesi MT, Roberta Sanches.

Ela indica a ingestão de alimentos antioxidantes, como frutas, verduras e legumes, bem como, a reeducação alimentar, para evitar ganho de peso – uma vez que a tendência é descontar a ansiedade, pela falta da nicotina, comendo mais, principalmente, para aquelas pessoas que tendem a comer doces. “Também são bons aliados, nesta empreitada, as castanhas, as frutas secas e os chás”.

Mobilização

O Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado em 29 de agosto, tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco.

Criada em 1986 pela Lei Federal 7.488, a data inaugura a normatização voltada para o controle do tabagismo como problema de saúde coletiva.

Acompanhe o Sistema Fiemt nas redes sociais:

Sistema FIEMT / SESI-MT - ​​Serviço Social da Indústria
Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 4.193 - Centro Político Administrativo
Cuiabá - MT / CEP 78049-940 | Fone: (65) 3611-1500 / 3611-1555